Lançamento

Santa Lolla AMA está causa! 

O mês de abril na Santa Lolla começa de um jeito muito especial. Pelo segundo ano consecutivo, apoia o Dia Mundial da Conscientização do Autismo, que aconteceu neste sábado, 2 de Abril.


Você sabia que hoje, cerca de 0,6% da população é portadora da doença, caracterizada por déficits na comunicação e interação social – em especial meninos antes dos 3 anos de idade. Graças ao trabalho de ONGs como a AMA (Associação Amigos do Autista), os portadores e seus familiares recebem apoio e a doença é desmistificada. Mas ainda há muito a se fazer.

Por isso, continuem abraçando a esta causa, com o lançamento das sapatilhas exclusivas da Santa Lolla. Criadas especialmente para a data, as peças em matelassê vêm em três cores: azul (a cor do movimento), preta e nude. Todas com o lacinho da solidariedade.

O mais importante? O lucro da venda das sapatilhas será revertido para a AMA! Além disso, se preferir, você pode contribuir diretamente no site da AMA (www.ama.org.br/site/video-campanha-tv.html).
Faça parte da campanha e ajude a fazer a diferença!

O TEA é caracterizado, de acordo com o último Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V) como prejuízos qualitativos na interação social (no qual se inserem aspectos comunicativos), associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos pronunciados (Brentani et al, 2013). A incidência é maior em meninos que em meninas (4 por 1) e é indicado que o diagnóstico seja realizado por equipe multidisciplinar qualificada. De acordo com a última publicação realizada pela Centers for Disease Control and Prevention a incidência do transtorno do Espectro Autista (TEA) pode ser 1 em cada 45 nascimentos. Este dado é derivado de uma pesquisa realizada por Baio (2014) intitulada “Autism and Developmental Disabilities Monitoring Network Surveillance Year 2010 Principal Investigators” que representa o avanço significativo de diagnósticos de TEA nos EUA. Ainda não se têm definida a origem deste aumento, alguns apontamentos na literatura indicam que uma das possibilidades seja devido ao aumento no conhecimento acerca do transtorno por equipe especializada. O aumento do diagnóstico, associado às características do TEA e da Política Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência de 1999 (BRASIL, 1999) que estabelece a matrícula compulsória de pessoas com deficiências em escolas regulares (os direitos educacionais de crianças com deficiências são estendido aos sujeitos com TEA), representa um dos grandes desafios para sujeitos com este diagnóstico e para os profissionais envolvidos. De acordo com Nunes, Azevedo e Schmidt (2013) o número de matrículas de alunos com TEA aumentaram significativamente, no entanto, a formação dos professores não acompanhou esse aumento de demanda. Diversas evidências na literatura apontam que a inclusão de crianças com TEA em escolas comuns representa ganho de todos os envolvidos, no entanto, ainda existem barreiras importantes para que esta inclusão aconteça da forma como é proposta na teoria. Uma das barreiras está relacionada ao conteúdo curricular que necessita de adaptação adequada a cada aluno de acordo com seus repertórios básicos. O segredo para o ensino de qualidade aos alunos com TEA (o que se estende a todos os alunos) é olhá-lo como uma pessoa, sem títulos ou rótulos, e ensinar aquilo que ele necessita aprender. O mês de conscientização é de grande importância para que mais pessoas conheçam e aprendam sobre esse tema e, consequentemente, a pessoa com TEA se desenvolva o melhor possível na nossa sociedade.

Por Ana Paula Aporta e Rafael Vilas Boas Garcia – Doutorandos em Educação Especial pela UFSCar

 

A Santa Lolla está localizada no piso térreo do Bauru Shopping Fone: 3214-7168

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply